terça-feira, setembro 18, 2007

750 alunos ingleses aprendem Latim aos 9 anos

A notícia é da BBC: há 20 escolas em Londres que começaram este ano lectivo a ensinar Latim aos seus alunos com o objectivo de estes melhorarem o seu inglês. Estão abrangidas quase 750 crianças de 9 e 10 anos. A língua será ensinada por meio de actividades, jogos e pequenas histórias, baseadas em mitos das Metamorfoses de Ovídio.
Os 15 professores são alunos do King’s College e da University College de Londres, envolvidos neste projecto de alargamento das actividades iniciadas em duas escolas no ano passado, coordenado pela Doutora Lorna Robinson.
Agora, tal como então, os testemunhos das crianças são comoventes: “I know lots of the Latin words because I speak Italian. We make up funny sentences with Latin and English words.”, diz o Joshua de 9 anos. O Fabio declara “I thought it was kind of really fun because I learnt a lot of stuff about Rome and Italy and the language Latin and how they connected different languages.”
Este projecto é financiado pela Universidade de Oxford, pelo Cambridge School’s Classics Project, Friends of Classics e através de doações privadas.

6 comentários:

Gi disse...

E finalmente a Universidade do Algarve vai ter um curso livre de latim elementar: ver aqui.
Só eu sei como o André é um bocadinho responsável por isto...

André disse...

Excelente notícia! Espero que tenha o maior sucesso! Quanto à minha eventual responsabilidade, não sei se me hei-de sentir lisonjeado se com remorsos ;)

Ricardo disse...

Seria importante que a Universidade de Lisboa também ministrasse o Latim Elementar com a modalidade de curso livre. E cursos de Verão. Mas no Verão não há ninguém no departamento...

André disse...

Há uns bons anos atrás, quando eu ainda estava a dar aulas no Secundário, o Departamento chegou a organizar uns cursos de Verão, destinados sobretudo aos alunos que vinham do Secundário e não se sentiam preparados para o Latim I. Eu já me ofereci para ressuscitar esses cursos, e o Professor Paulo Alberto, agora presidente do Departamento, deu-me na altura todo o apoio, e chegou a avançar com projectos concretos e interessantes. Chegámos a sentar-nos à mesa e pensar em várias hipóteses. Pensámos inclusive em fazer anúncios de jornal, pois o curso seria dirigido a um público que não teria de ser obrigatoriamente o universitário.

No entanto, em geral quem mais se entusiasma e disponibiliza para estes projectos é quem tem menos tempo para eles, pois acaba por se desdobrar em milhentas coisas ao mesmo tempo. É caso do Professor Paulo Alberto (ou do Professor Arnaldo, ou da Professora Cristina Pimentel, por exemplo), que é das pessoas que mais têm lutado pelo Departamento e pela sua sobrevivência. No meu caso tive de abandonar o projecto, por causa do Mestrado.

Mas eu não acho que esses cursos tenham de ser ministrados obrigatoriamente por professores do Departamento. Não vejo qualquer inconveniente em que alunos de mestrado os ministrem. De resto, quando esses cursos existiam havia recém-licenciados, mas não em mestrado, a ministrá-los.

Também não vejo que tenham de ser exclusivamente cursos de Verão. Poderia haver cursos livres ao longo do ano, diferenciados da Iniciação à Língua Latina, destinados a um público não universitário. Mas não sei se isso é praticável.

Fico contente por se ter aberto este debate!

André disse...

Ainda em relação ao artigo que o Ricardo apresentou, têm sido ensaiados alguns projectos idênticos em colégios portugueses, levados a cabo por licenciados em Clássicas. Aquele que conheço mais de perto é o do Colégio Minerva, no Barreiro, onde o Latim é ministrado como actividade extra-curricular obrigatória a miúdos do ensino básico (até ao 9º ano).

Xantipa disse...

Obrigada, André, pelos votos de sucesso!
Também eu espero que corra bem...